top of page

Quais foram as principais invenções criadas por mulheres brasileiras?




Por Heloísa Carvalho


A Ciência é uma produção humana realizada por mulheres e homens. Entretanto, historicamente as mulheres foram silenciadas nas produções científicas. Os filmes, séries, desenhos animados e até mesmo os livros didáticos acabam reforçando a imagem androcêntrica da Ciência (CORDEIRO, 2022, p.23). Nesse sentido, buscando divulgar a participação das Mulheres na Ciência, a equipe da STEAM quer compartilhar com você, invenções que foram desenvolvidas por cientistas brasileiras.


Bertha Lutz (1894-1976) - Descobriu uma nova espécie de sapo


Bertha Lutz foi uma cientista e bióloga especializada em anfíbios. Filha de Adolfo Lutz, Bertha estudou na Universidade de Paris e foi referência da zoologia médica no Brasil. Descobriu uma nova espécie de sapo, o Paratelmatobius lutzii e, em 1919, se tornou pesquisadora do Museu Nacional do Rio de Janeiro. Para além da ciência, participou da Conferência das Nações Unidas em São Francisco, em 1945, onde lutou para que a igualdade de gênero fosse incluída na Carta das Nações Unidas. Para mais, Bertha foi a principal líder na luta pelos direitos políticos das mulheres brasileiras, tendo atuado diretamente para a conquista do voto feminino, em 1932.


Jaqueline Goes e Ester Sabino - Sequenciamento do genoma do novo coronavírus em 24 horas


A biomédica Jaqueline Goes de Jesus e a imunologista Ester Sabino ficaram conhecidas por terem sequenciado o genoma do novo coronavírus 24 horas após a confirmação do primeiro caso de Covid-19 no Brasil. Jaqueline desenvolve pesquisas na área de arboviroses emergentes e faz parte de um projeto de mapeamento genômico do vírus Zika no Brasil. Ester é pesquisadora do Laboratório de Parasitologia Médica, com trabalhos sobre HIV, doença de Chagas e anemia falciforme. No carnaval de abril deste ano, a biomédica baiana Jaqueline Goes foi homenageada no desfile da escola de samba Beija-Flor, do Rio de Janeiro. O enredo “Empretecer o Pensamento é Ouvir a Voz” celebrava a contribuição intelectual de artistas, escritores e cientistas negros. O novo grande objetivo de Jaqueline é usar o lugar de referência na ciência que caiu no seu colo para criar essa oportunidade e incentivar as carreiras de meninas e mulheres na ciência. “Ter uma voz que é ouvida te coloca numa posição de poder”, afirma. Ela quer usar essa voz para criar projetos e caminhos para que mulheres, especialmente em vulnerabilidade social, desenvolvam seus talentos. A cientista Ester Sabino se tornou a nova pesquisadora científica do Instituto Todos pela Saúde. Ela também atua no Instituto de Medicina Tropical da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP).


Nadia Ayad - Água potável através da dessalinização a partir do grafeno


Em 2016, a carioca Nadia Ayad recebeu o prêmio internacional Global Graphene Challenge Competition. Ela criou um mecanismo sustentável que torna a água potável, usando a dessalinização a partir do grafeno, material composto por átomos de carbono. Nadia é formada em Engenharia de Materiais pelo IME (Instituto Militar de Engenharia), líder da Fundação Estudar e doutoranda em Bioengenharia pela Universidade de Berkeley, nos Estados Unidos.


Chu Ming Silveira - Orelhão


Nascida na China, mas naturalizada brasileira, a arquiteta Chu Ming Silveira foi a responsável pela criação dos protetores de telefones públicos, popularmente chamados de Orelhão, enquanto chefiava o Departamento de Engenharia da Companhia Telefônica Brasileira. A invenção também se espalhou para outros países, como Peru, Colômbia e Angola. Chu, se casou em 1968 com o engenheiro paulista Clovis Silveira, adotando seu sobrenome. O casal teve dois filhos: Djan e Alan, nascidos em 1971 e 1976, respectivamente. Alan Chu seguiu os passos da mãe e hoje é um conhecido arquiteto, atuante em São Paulo e Djan Chu é empresário e fotógrafo profissional especializado em arquitetura. Chu Ming faleceu jovem, em 18 de junho de 1997, de micro embolia pulmonar, em São Paulo.


Aurinda Maria da Silva - Tapete com sensor

A profissão dela, cuidadora de idosos, deu origem ao tapete que visa a segurança de crianças, idosos e pacientes, aciona o alarme (o dispositivo funciona inclusive via Bluetooth e Wi-fi) ao ser pisado, emitindo um aviso para o cuidador que tem alguém próximo a uma área de risco.


22 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page