top of page

Por que tão poucas mulheres na STEM?



Por Catherine Ciusjmak


Historicamente, as mulheres foram excluídas do ensino superior. Embora grandes progressos tenham sido conquistados nas últimas décadas, em relação ao acesso das mesmas à educação, ainda há muito a ser feito. Tal fenômeno é claramente evidente nas áreas de ciências, tecnologia, engenharia e matemática (STEM), onde se analisa um grande desequilíbrio em relação à quantidade de estudantes masculinos e femininas, principalmente em comparação com outros cursos de graduação.

É comprovado, que meninas e mulheres são constantemente desmotivadas e repelidas da ciência e da matemática durante a educação escolar, limitando seu acesso, preparação e oportunidades para adentrar nestes campos como profissionais no futuro. Pesquisas recentes, indicam que as mulheres representam apenas 28% da força de trabalho nas áreas de STEM, enquanto os homens são constantemente incentivados a se especializarem nestes campos e acabam, por consequência, dominando tais ambientes no mercado de trabalho. Além disso, as disparidades de gênero se mostram particularmente altas em posições de rápido crescimento e altas remunerações, como ciência da computação e engenharia.

É evidente a necessidade de tais campos se tornarem cada vez mais inclusivos e preocupados em promover a participação das mulheres, uma vez que tais avanços proporcionam benefícios para toda a sociedade, pois a presença das mesmas na STEM se mostra fundamental em diversos casos, como:

  1. Inovação: mulheres trazem perspectivas únicas para a resolução de problemas e podem contribuir para o desenvolvimento de soluções inovadoras, levando em consideração as necessidades de uma parcela maior da sociedade.

  2. Diversidade: aumentar a diversidade de gênero pode levar a uma maior diversidade de ideias e soluções. As mulheres trazem diferentes vivências e experiências que são valiosas para a resolução de problemas em equipe.

  3. Economia: a presença de mulheres na área de STEM pode levar a um aumento da inovação e da produtividade, o que impulsiona a economia.

  4. Igualdade de gênero: garantir que mulheres tenham igualdade de acesso e oportunidades promove a igualdade de gênero e combate a discriminação de gênero nos locais de trabalho.

Concluí-se então, que as verdadeiras soluções para diminuir a disparidade de gênero nos campos de STEM devem ser trabalhadas em vários níveis, já que a exclusão começa na infância, quando as meninas são desencorajadas em relação à ciência e a matemática e as más práticas continuam através da educação e no local de trabalho, onde as mulheres são constantemente discriminadas. Portanto, é essencial que as empresas e instituições de ensino promovam a inclusão de mulheres nas áreas de STEM, eliminando barreiras e incentivando a participação ativa nessa área.





Referências Bibliográficas

Hill, Catherine; Corbett, Christianne; Rose, Andresse. Why so few? Women in Science, Technology, Engineering, and Mathematics. Disponível em: https://www.aauw.org/app/uploads/2020/03/why-so-few-research.pdf. Acesso em: 15 de fevereiro de 2023.

Women in STEM: A Guide to Bridging the Gender Gap. Maryville University. Disponível em: https://online.maryville.edu/blog/women-in-stem-a-guide-to-bridging-the-gender-gap/. Acesso em: 15 de fevereiro de 2023.

23 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

MULHERES MEMORÁVEIS: HIPÁTIA DE ALEXANDRIA ✨

Autora: Arianne Pires 📌Sabemos que enaltecer feitos científicos de mulheres é extremamente importante, pois serve como inspiração de que todas podemos fazer ciência. E estreando o quadro que faremos

Comments


bottom of page