top of page

Conheça a história de Alva Rosa, mulher indígena, cientista e doutora


No mês em que celebra o Dia dos Povos Indígenas (19/04), com o objetivo de promover conteúdo que destaque o protagonismo científico de mulheres indígenas, a STEM Para Minas traz a história de Alva Rosa, que está construindo um legado enriquecedor ao se tornar doutora em Educação (a primeira mulher indígena a obter o título de doutorado na sua universidade) e relacionar o seu conhecimento ancestral com a aprendizagem que vem construindo dentro de sua área do STEM. Alva Rosa Lana Vieira, vinda da terra indígena do Alto Rio Negro de São Gabriel da Cachoeira, professora do povo Tukano, concentra suas pesquisas na área de Educação Escolar Indígena. Teve sua trajetória acadêmica iniciada na licenciatura em Matemática, com Especialização em Ensino de Matemática pela Universidade Federal do Amazonas (2008). Além disso, possui mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública (Universidade Federal de Juiz de Fora, 2017) e, mais recentemente, doutorado em Educação (Universidade Federal do Amazonas, 2023). Alva, em entrevista ao portal da UFAM, afirmou que o seu trabalho aponta a necessidade de elaborar uma política pública efetiva de Educação Escolar Indígena, e é exatamente o que ela busca através de sua trajetória: a total revolução da forma que a educação básica é apresentada aos povos indígenas. Para entender melhor: em outra entrevista (Nexo Jornal), Alva pontua que a educação escolar indígena difere da educação tradicional em seus princípios por ser única, bi ou multilíngue (capaz de atender aos inúmeros dialetos indígenas), capaz de valorizar os dialetos e conhecimentos indígenas, portanto, intercultural e menos homogênea, capaz de dialogar também com conhecimentos das culturas indígenas, além das universais que já vemos no ensino convencional. Membra da Articulação das Organizações e Povos Indígenas do Amazonas, ela busca fortalecer organizações indígenas regionais e segmentos estaduais da educação indígena, mulheres indígenas e estudantes indígenas, buscando, através da união, trazer resultados positivos para a luta que representa. Mas afinal, o que você pode fazer para ajudar a causa? A resposta é, primeiramente, falar sobre as pautas indígenas para as pessoas ao seu redor, visando a sensibilização em relação às lutas que são lideradas pelos povos originários, além de mobilizar e pressionar autoridades políticas para que realizem ações que contribuam para a concretização das conquistas almejadas, especialmente no que se refere ao sonho de uma educação escolar que realmente represente os povos indígenas em suas realidades e culturas. Viva Alva Rosa! Viva os povos originários! Viva a educação!



Por, Mariana Pires

Referências: GRANA, Márcia. “UFAM concede primeiro título de doutorado a uma mulher indígena”. Equipe ASCOM UFAM. 15 de Fevereiro de 2023. Disponível em: <https://ufam.edu.br/noticias-destaque/4552-ufam-concede-primeiro-titulo-de-doutorado-a-uma-mulher-indigena.html>. ZACARI, Lucas. “Alva Rosa Lana Vieira: ‘Educação indígena precisa ser prioridade’”. Nexo Jornal, Ponto Futuro. 3 de Março de 2023. Disponível em: <https://www.nexojornal.com.br/entrevista/2023/03/03/Alva-Rosa-Lana-Vieira-‘Educação-indígena-precisa-ser-prioridade’>.

32 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page